sábado, 8 de outubro de 2011

sucede-se


ao cansaço
largando a ideia que trazia das coisas

11 comentários:

lifeontheviewfinder disse...

O sol a espreitar fez toda a diferença.

http://www.youtube.com/watch?v=oBX3JnaXIpA

Rute disse...

...sucedeu-me estar a olhar imenso tempo para esta imagem com estas palavras...fiquei plena de espaço dentro de mim porque também caí na doce tentação de largar " a ideia que trazia das coisas"...
Belo, belíssimo post!

1 beijo:)

Sérgio Aires disse...

Cenário para muitas histórias. Tão simples e tão bonita. Parabéns!

Anónimo disse...

Dos tempos já esquecidos em que adubar a terra era preciso, aos dias sem tempo e sem gente que adube a terra!

A terra é a mesma...
Com mais sem terra...

Poucaterra, poucaterra!
Sem Companhia, sem União, nem Fabril lufa-lufa, resta o silêncio negro de trens que já não param nem passam, na agonia lenta de dias sombrios de murcho ocaso, de Trofa a Fafe...ao abandono.

Navegar é preciso!

http://letras.terra.com.br/caetano-veloso/44761/

Anónimo disse...

Esta foto e o retorno dos não – lugares
Augé define os não-lugares como sendo espaços de anonimato no quotidiano, espaços descaracterizados e impessoais, espaços aos quais não é atribuído qualquer tipo de característica pessoal: “Os não-lugares são a medida da época; a medida quantificável e que se pode tomar adicionando, ao preço de algumas conversões entre superfície, volume e distância, as vias aéreas, ferroviárias, das auto-estradas e os habitáculos móveis ditos ‘meios de transporte’ (aviões, comboios, autocarros), os aeroportos, as gares, as grandes cadeias de hotéis, os parques de recreio, as grandes superfícies comerciais”,etc (…) “a distinção entre lugares e não-lugares passa pela oposição do lugar ao espaço”. (…) “O não-lugar é o contrário da utopia: existe e não alberga sociedade orgânica alguma. E que de dia para dia, acolhe cada vez mais pessoas” sobretudo nos grandes centros urbanos actuais, como é aqui o caso, a cidade do Porto.
Fábrica - Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança (1896)
http://www.youtube.com/watch?v=DDwroALA-F8

The Pains Of Being Pure At Heart - Stay Alive
http://www.youtube.com/watch?v=4XCLWEEvoP4&feature=player_embedded
THE CRAMPS-live at Napa State Mental Hospital.avi
http://www.youtube.com/watch?v=Fat2rswNJ1k&feature=share

Maria de Guerra

João André Farinha disse...

Gosto do Sol a espreitar, que parece trazer um raio de esperança a uma imagem que de resto é que decadência e abandono.

the dear Zé disse...

"Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico"

http://www.youtube.com/watch?v=P7mHf-UCZp0

não sei, é isso que me ocorre. de resto, fica a foto, tão enganadoramente simples...

e bêjo

Clarice disse...

"...largando a ideia que trazia das coisas..." estas tuas palavras e esta imagem imensa... que carrego agora no meu olhar... para não me cansar...

beijinho

João Mourão disse...

Excelente grafismo, e a presença humana a adornar todas as linhas está muito bem conseguida.

Remus disse...

Este é o retrato de todo um povo.
Um retrato cada vez mais actual.

Tiveste a sorte de estar no lugar certo, à hora certa. Mas para além disso, tiveste a capacidade e a mestria de o registar muito muito bem.

Helder Ferreira disse...

Pois olha que ele me parece muito relaxado.. :)