domingo, 19 de fevereiro de 2012

kitsch, rite and myth


looking for the engaged substance

7 comentários:

Anónimo disse...

Pois, é domingo gordo de Carnaval. Está tudo aí nas tuas palavras e imagens... O rito expressa um mito, encarnando-o. O mito é a alma do rito, sua estrutura significativa. Rito e mito são duas faces de uma mesma realidade, essencialmente humana. O kitsch é a moldura vivencial da coisa.

legendary tiger man-masquerade
http://www.youtube.com/watch?v=J6UIWKb_qrc&feature=player_embedded#

Nick Darke - Parasite
«Lifting the mask from a local clown, feeling down like him»
http://www.youtube.com/watch?v=ABAi5jWvxbU&feature=share

beijinho.
maria

mfc disse...

Uma foto surpreendente... e gira!

the dear Zé disse...

quiche, rice and meat
e uma bejeca na mesa do canto

bêjo

Rute disse...

A Maria deu aqui uma surpreendente explicação! Gostei muito.

Eu sento-me convosco na mesa do canto, para a tal bejeca, se não te importares...;)

1 beijinho

lifeontheviewfinder disse...

Não faço ideia onde encontraste este sítio. Kitsch sem dúvida, mito pelos vistos não e quanto ao rito parece-me ser o do café :). Mas confesso ... circo foi o que me veio à cabeça.

http://www.youtube.com/watch?v=oDB-MGsWzQQ

Remus disse...

Este lugar não me é estranho, mas neste momento não estou a conseguir recordar-me de onde.

Uma fotografia graficamente e milimetricamente irrepreensível (tal como eu adoro). As cores, com esta mistura de vermelhos, brancos e azuis, vieram a dar um toque francês à coisa. :-)

Também é curioso que no meio de tanto reflexo criado pelos espelhos, não consigo descobrir a Iris. :-P

IRIS disse...

assunto de pano para mangas é no post seguinte, não neste. este é mesmo mais sentar e degustar histrionicamente ;-)

Nuno e Remus, este lugar circula pelos lugares deste Portugal, apanhei-o à passagem pelo S. João das Fontaínhas, para variar (!).

Remus, essa do toque francês não me passou pela cabeça mas está muito bem observado e, se tal me tivesse acontecido, tu, Zé tão terias tido a oportunidade de fazer este trocadilho joguete brilharete :-))

e Remus, lá bem no fundo, a Íris não existe... será? :-)

muito obrigada, vocês são a minha alegria :-D

beijinhos e bêjinhos